Artigos, Entrevistas, Festivais / Eventos, MOTELx
Leave a Comment

MOTELX 2016 | Entrevista com Ruggero Deodato

motelxlogonew

cannibalholocaust

Ruggero Deodato, o mestre italiano dos filmes de canibalismo, o homem que chocou o mundo com um dos filmes mais controversos da história e com uma grande carreira no género fantástico, foi um dos convidados de honra desta edição do MOTELX! O Panda’s Choice teve a oportunidade de conhecer o realizador e falar com este sobre a sua obra mais conhecida, Cannibal Holocaust, apresentada também durante o festival numa sessão muito especial onde lhe foi entregue o prémio Mestres do Terror. [A conversa aqui escrita não é uma tradução à letra.]

foto-rug-serio

De onde surgiu a inspiração e o fascínio pelo mundo do canibalismo?

Antes de ter filmado o Cannibal Holocaust, já tinha tido uma experiência no mundo do canibalismo com Last Cannibal World. Posso dizer que sei tudo sobre os canibais… Estudei tudo sobre estes, vi documentáros no National Geographic muito intensos e achava fascinante ver a forma como estas pessoas vivem ainda como se estivessemos perante a pré-história com um enorme prazer… Tive pessoas a perguntarem-me porque não fazia um filme sobre os canibais e penso que a motivação surgiu um pouco daí… É estranho ver a forma como a violência é exposta nos noticiários hoje em dia em reportagens que são exibidas logo pela manhã e como toda esta crueldade é aceite ao contrário do meu filme que foi censurado e proibido. O filme foi baseado numa história de uma equipa de jornalistas que decidiram ir fazer um filme sobre canibais e que nunca mais voltaram e, algum tempo depois, surge uma cópia das gravações da equipa…

Ainda se recorda como foi a recepção do filme?

O público pensava que tudo aquilo era real… Eles pensavam que eu tinha mesmo matado os actores… O filme foi bloqueado pelo tribunal e seguiram-se anos de reprimendas… Tudo porque as pessoas achavam que eu tinha matado os actores. De facto o que aconteceu mesmo foi que na preparação dos contratos com os actores no estúdio, estes foram avisados de que após o filme não seria possível voltarem a trabalhar até um ano depois. Eles teriam de desaparecer… E é engraçado porque o resultado de tudo isto só foi possível porque naquela década não havia acesso à internet, nem uma forma rápida de descobrir as coisas… Tenho uma história engraçada sobre uma publicação francesa que publicou fotografias do Cannibal Holocaust no seu jornal e que quando chegaram a Espanha, levaram a que o filme fosse um flop. Foi preciso explicar e contar-lhes que aquilo não era real para levar as pessoas ao cinema a irem ver o filme e no final gostaram!  É estranha a forma como as pessoas reagem perante esta noção de verdadeiro/falso.

img_20160911_205138

Tive a oportunidade de confrontar várias pessoas mais novas ao longo destes anos e quando lhes pergunto se o Cannibal Holocaust é mais forte e realista do que as filmagens da guerra do Iraque onde se podem ver execuções e estes respondem que o Cannibal Holocaust é mais forte. É incrível como as imagens falsas chocam desta forma! Um dia enquanto estava a dar autógrafos, um homem aproximou-se de mim com o seu filho mais novo e ele disse-me “o meu filho… ele viu o seu filme e ele adorou!”. Tenho pessoas a dizerem que admiram a música do filme e muitas outras histórias estranhas…

Image result for cannibal holocaust cast

No Reino Unido, por exemplo, o filme esteve bloqueado durante 20 anos. Ficou disponível há cerca de 2 anos e sabe qual foi a única coisa que eles cortaram nas imagens dos animais? Só o rato… Só o rato… É incrível… Porque é o rato? Deixaram ficar a tartaruga… Não percebo o porquê.

É preciso dizer que não matei os animais por mim ou pela minha felicidade… O ambiente onde estivemos… Aquelas pessoas estavam habituadas a matar os animais. Para elas matar uma tartaruga, um macaco ou um rato é normal… O pequeno porco foi morto por uma razão diferente… A assistente de guarda-roupa disse-me “Oh Ruggero, comemos peixe do rio todos os dias… Por favor mata o porco e eu preparo-o para ti esta noite” e eu acabei por pedir a um actor para o fazer.

Image result for cannibal holocaust cast

Mas os actores estavam preparados para isso?

Eu nasci há muitos anos atrás e quando eu era mais novo, vivia no campo. Ali era normal os homens matarem os porcos, haver sangue por todo o lado, ver mulheres a matarem galos para cozinhar… Matavam-se coelhos e tantos outros animais para comer e era tudo normal. Agora já não. As pessoas na América, por exemplo, não matam coelhos… Para eles os coelhos são como gatos… As famílias são diferentes e as crianças são educadas de forma diferente… Eu entendo isso. Mas há uma coisa que não consigo compreender… Imagine-se a morte de um avô… Uma mãe na altura em que eu era uma criança teria dito para me despedir dele porque seria a última vez que o iria ver… Agora é mais típico ouvir-se “não olhes para o corpo… É melhor lembrares-te dele quando era vivo e feliz.”. Acho isto terrível… As pessoas mais novas deixaram de saber o que é a morte. E a verdade é que a morte é tão importante como a vida.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s