★★★★, Críticas, Highlight Reviews, Português, Reviews
Comments 5

Crítica | 10 Cloverfield Lane (2016)

cloverfieldlanelogo10cloverfield_poster

  • De: Dan Trachtenberg
  • Com: John Goodman, Mary Elizabeth Winstead, John Gallagher Jr.
  • 1h43min

Oito anos após o primeiro impacto de Cloverfield numa espécie de found footage com uma intensidade muito peculiar e um ritmo alucinante que nos deixa agarrados à cadeira enquanto vemos um monstro gigante a invadir a cidade de Nova Iorque que por vários momentos nos faz lembrar Godzilla, chega aos cinemas uma história que aparentava ser uma sequela mas que adquiriu um carácter muito próprio e original, distanciando-se aos poucos do primeiro filme e tornando-se num thriller verdadeiramente intenso e assombroso. Não vos minto quando vos digo que senti os nervos à flor da pele em muitos dos momentos mais dramáticos e intensos, nem quando destaco a forma espetacular como o filme transita de um thriller carregado de mistério, enquanto descobrimos as personagens e vamos desvendando os pormenores da história para uma segunda parte alucinante e repleta de tensão e adrenalina, claramente superior à que encontramos no filme original.

10 Cloverfield Lane é introduzido num ambiente misterioso e sombrio, quando uma rapariga se vê presa num enorme bunker após um acidente de viação à noite e depara-se com um homem que lhe conta uma história mirabolante que retrata ataques misteriosos, vindos do nada, e um ar tóxico e irrespirável que matou tudo e todos à sua volta, apresentando-se como o “herói” improvável que esconde detalhes importantes pelo meio. Aprisionada, perdida e confusa, a rapariga não tem para onde ir e, fixada a uma realidade muito improvável, decide procurar pistas e descobrir o que aconteceu e o que faz ali, naquele lugar, com a companhia de um homem que a mantém “refém” e de um jovem na mesma situação mas que esteve presente na altura em que tudo aconteceu.

É avassaladora a forma como nos agarramos à trama, questionando-nos constantemente sobre a veracidade de toda aquela realidade mirabolante, sem ponta por onde se pegue. John Goodman eleva a fasquia da trama, com uma personagem misteriosa, que esconde claramente o seu passado enquanto procura manter a calma no bunker e os seus dois hóspedes controlados. Goodman faz parte daquela classe de vilões que nos deixam com os nervos à flor da pele e com a curiosidade em altas, com um humor e uma postura que varia entre a rigidez da tropa e os aspetos mais tolos e loucos da sua personalidade. E aliada a esta grande interpretação, 10 Cloverfield Lane conta ainda com Mary Elizabeth Winstead, que veste a pele da jovem presa e perdida numa realidade completamente desconhecida, perante a qual coloca as mais diversas questões, e cuja coragem e curiosidade a levam a fazer tudo o que está dentro das suas possibilidades para descobrir a verdade e uma possível saída. Uma interpretação que contribuí para o tom mais intenso do filme, com traços pessoais muito fortes que seguimos com toda a atenção enquanto nos colocamos na pele da personagem, à deriva num cenário hostil. São as relações entre estas personagens e os constantes duelos físicos e psicológicos que elevam a intensidade e a tensão do filme a um patamar que nos leva a esquecer que estamos perante o universo do filme original.

stars_16

Advertisements

5 Comments

  1. Confesso que não gostei do original “Cloverfield”, porque por norma, não me agrada os filmes em que se vê a história pela perspectiva de uma handycam. Aborrece-me, fico meio tonta e maldisposta… lol Mas… Este trailer pareceu-me interessante e a tua crítica convenceu-me. Se não há handycams…. I’m in!

    • Sem handycams e com uma intensidade brutal, não vais conseguir ficar calma durante o filme. O suspense e a tensão são espetaculares! Aconselho-te vivamente a ires ver o filme 😛 depois passo na Sala Esgotada para ver o que achaste!

  2. Confesso que não gostei do original “Cloverfield”, porque não me agrada os filmes em que se vê a história pela perspectiva de uma handycam. Aborrece-me, fico meio tonta e maldisposta… lol Mas… Este trailer pareceu-me interessante e a tua crítica convenceu-me. Se não há handycams…. I’m in!

  3. Eu amei o original e amo este 😀 Gastei 12€ ao ir ver em 4DX mas não foi mal gasto

    “10 Cloverfield Lane”: 5*

    “10 Cloverfield Lane” é até agora um dos filmes do ano, vi-o recentemente e é excelente.

    Cumprimentos, Frederico Daniel.

  4. Pingback: BAMBOO AWARDS | 8 Grandes Surpresas de 2016! | Panda's Choice

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s