Crítica : Prémio MOV/MOTELx | Andlit (2015)

Crítica : Prémio MOV/MOTELx | Andlit (2015)

premio movmotelxA pequena retrospectiva pelas curtas em competição continua com uma análise a um dos meus favoritos, não só pelo conteúdo mas também pelo facto de ser o único filme de animação em competição.

ANDLIT

um filme de João Teixeira Figueira

stars_16Cenário: Um robô a desfrutar o seu chá, vê parte do seu espaço ocupado por um humano que carrega um bebé enrolado numa manta.

Prós: É de louvar o trabalho necessário para produzir uma curta stop-motion… A atenção aos detalhes, a forma como o robô e o humano interagem e a forma como o primeira expressa emoções e sentimentos são simplesmente encantadoras de ser ver, mesmo tratando-se de uma curta de Terror. Desenganem-se aqueles que esperam ver animação para crianças, porque há sangue e um enredo doentio no qual é possível encontrar também elementos mais descontraídos e divertidos. Ao início, é fácil sentirmo-nos perdidos na história, mas assim que a trama se desenrola, o robot revela-se uma personagem absolutamente contagiante. Uma mixórdia entre o adorável, o bizarro e o cruel que se destaca pela originalidade e criatividade.

Contras: Nada de relevante a apontar.

Trailer:



2 thoughts on “Crítica : Prémio MOV/MOTELx | Andlit (2015)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.