Artigos, Português
Comment 1

“Capitão Falcão”: Entrevista com João Leitão

capitaofalcaoCapitão Falcão é o novo filme de João Leitão e da sua produtora Individeos, responsável pela série portuguesa Um Mundo Catita que, após diversos contratempos estreia finalmente nos cinemas esta semana. Com um episódio piloto apresentado durante a edição de 2011 do MOTELx e com uma reacção positiva por parte da audiência, justificada em grande parte pela originalidade e irreverênia de todo o projecto, a história do super-herói português ao serviço do Estado Novo não chegou a ter direito a uma emissão televisiva mas prepara-se para chegar finalmente às sals de cinema numa versão mais cinematográfica. João Leitão esteve presente num painel dedicado ao filme durante a Comic Con Portugal, acompanhado pelo actor principal do filme, Gonçalo Waddington, onde acabou por divulgar alguns detalhes e curiosidades sobre toda a produção do filme, desde os contratempos à grande motivação de toda a equipa que nunca desistiu e esforçou-se para trazer ao país este projecto inovador.

Distante do registo usual das comédias nacionais, Capitão Falcão é uma aposta original e que aparenta ser bastante divertida pelos diversos momentos já apresentados quer no trailer, quer no episódio piloto. João Leitão lidera assim um projecto que promete agradar todos aqueles que estão cansados da programação de canais generalistas portugueses que nos enchem os olhos com novelas, comédias banais e reality-shows. Um filme no mínimo controverso para uma sociedade portuguesa que ainda não vê com bons olhos sátiras políticas mas que, por toda a história da sua produção, é a prova viva de que em Portugal há gente a tentar produzir conteúdos diferentes e inovadores mas que não tem a oportunidade de demonstrar a sua arte por questões meramente logísticas.

Gonçalo Waddington lidera assim o elenco do filme, vestindo a pele do Capitão Falcão, um herói peculiar que, acompanhado pelo Puto Perdiz (interpretado por David Chan Cordeiro), procura defender o Estado Novo, seguindo as ordens directas de António de Oliveira Salazar, da ameaça vermelha comunista que assola o país na esperança de uma revolução.

O Panda’s Choice teve a oportunidade de fazer algumas perguntas ao realizador do filme, como antevisão da estreia deste e para divulgar o que de bom e diferente se faz no nosso país.

P1: João, como surgiu esta ideia de criar um super-herói português, ao serviço do Estado Novo?

Honestamente já não sei. Escrevi o episódio piloto em 2009 e a memória é uma coisa tramada. Mas lembro-me nitidamente de ter visto a websérie australiana “Italian Spiderman” nesse ano. E outra série brilhante inglesa chamada “Garth Marenghi’s Darkplace”. Acho que juntamente com os filmes franceses do “OSS 117” foram estes os grandes catalisadores do Capitão Falcão.

A verdade é que o episódio piloto foi escrito numa sessão única, imediatamente a acordar numa manhã especialmente produtiva após vários meses de depressão. Às vezes quando deixamos o cérebro destilar tempo suficiente acabamos por ter sorte e tirar alguma coisa do processo.

P2: Depois de uma apresentação do episódio piloto do MOTELx, bastante comentada e noticiada pela internet, tudo indicava que Capitão Falcão era um projecto quase certo na televisão portuguesa. O que achas que falhou e que acabou por colocar em risco o projecto?

É difícil falar nisto porque foram múltiplos anos de sucessivas ilusões que só mais tarde se transformaram em desilusões. Foi um processo doloroso porque nunca ninguém nos disse “não” ao projecto. A série foi adiada múltiplas vezes durante 3 anos até que nos fartamos de esperar.

Mas acho que o Falcão não falhou em Portugal. Acho sinceramente que foi Portugal que falhou ao Falcão. Nomeadamente a televisão portuguesa que pura e simplesmente não quis que o projecto fosse feito.

P3: Capitão Falcão vai ser lançado naquele que é o primeiro ano após o chamado Ano Zero do cinema Português e que tem sido marcado por filmes interessantes que têm estado nas bocas do mundo, nomeadamente em festivais. Até este ano, devo admitir que estive um pouco fora do panorama nacional, tendo em conta o exagero de produções nacionais que assemelhava-se imenso a telenovelas de curta duração. O que falta no cinema português para chegar a mais pessoas?

Aparentemente, para chegar a mais pessoas não falta nada ao cinema português.

Isto porque entre o “Balas e Bolinhos” (256 mil espectadores), o “Sete Pecados Rurais” (324 mil espectadores) e agora mais recentemente o trio do “Gatos Não Têm Vertigens” (93 mil espectadores), “Maias” (121 mil espectadores) e “Virados do Avesso” (112 mil espectadores) está quase um milhão de rabos portugueses sentados no cinema. Algo que seria impensável há 10 anos atrás.

P4: Com a data de estreia a aproximar-se, quais são os maiores receios?

O meu maior receio é que tenha estado os últimos 5 anos a trabalhar noutra ilusão. E que as pessoas de facto não queiram uma comédia sobre a nossa ditadura.

P5: Qual consideras ser o ponto mais forte de Capitão Falcão?

O facto disto só poder acontecer em Portugal.

Só uma tempestade perfeita de censura e apatia é que permite que um país viva uma ditadura de meio século ao mesmo tempo que deixa passar mais de 80 anos sem uma comédia adereçar o assunto no cinema.

Várias vezes durante a produção do filme dei por mim a pensar “Por favor, ninguém faça isto antes de mim!”. Estranhamente, ninguém sequer tentou.

P6: Será este um projecto isolado ou existe a hipótese de vermos o Capitão na televisão talvez mais tarde?

Na televisão não acredito. Mas a equipa e os actores estão muito interessados em fazer disto uma trilogia. Isso vai depender exclusivamente do público português que terá de votar com a carteira.

P7: Um pouco off-topic mas assente na temática da época, qual foi o teu filme favorito de 2014?

Provavelmente o “Birdman”. Se bem que só o vi uma vez e entretanto já vi o “Whiplash” três, o que deveria contar para alguma coisa.

P8: Por último e em jeito de despedida, gostarias de deixar uma mensagem aos fãs (e aos indecisos)?

Aproveitem a liberdade que têm para fazer o que vos der na gana.

E festejem essa liberdade com uma ida ao cinema no próximo 25 de Abril para ver o “Capitão Falcão”.

Capitão Falcão chega aos cinemas dia 23 de Abril. Até lá, fiquei com o trailer do filme.

Advertisements

1 Comment

  1. Pingback: TCN Blog Awards 2015: Os Nomeados | TVDependente

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s